“Quero um nome de fácil memorização”


Batiza: O que é um nome de fácil memorização para você?
Cliente: Ah, tipo Apple!!!
Batiza: Ah ta, entendi… 


Algumas das frases que mais escuto de clientes: “Quero um nome fácil de memorizar” , “Quero um nome que grude” , “Quero um nome que pegue”. E o que eu penso: “Tudo bem mas isso depende também de você. ” – confesso que é complicado fazer o cliente entender isso.

Acho muito difícil falar sobre a memorização de um nome (o ato ou efeito de lembrar, de conservar ou fixar ele na memória) pois penso que é uma questão complexa de ser mensurada.

Como avaliar se o nome que criei possui fácil memorização?
O que leva um nome ser memorável?

No livro The Naming Book, Brad Flowers cita algumas características que melhoram a lembrança ou o reconhecimento de nomes de marcas. São elas:

  • Rima. Ex: Lilica Ripilica
  • Ortografia incomum. Ex: Cingular
  • Onomatopéia (“escrita de um som”). Ex: Tic Tac
  • Inicial com consoante forte – R, K, V, G. Ex: Veja
  • Trocadilho. Ex: Filho da Fruta
  • Figuras de Linguagem. Ex: Diamante Negro (metáfora)
  • Palavras do universo da marca ou que descrevem o negócio. Ex: Happy Toys

Ok, quem sabe esses recursos podem facilitar, não vou duvidar mas penso que eles não podem garantir nada!

Acredito que, para avaliar se um nome permite boa memorização, ele teria que ser submetido à uma pesquisa profissional, ampla (grande amostragem) e bem estruturada, coordenada por profissionais de áreas distintas como marketing, neurociência, psicologia, linguistica, sociologia, etc – ou seja, uma pesquisa NADA simples.

Observação: Esse tipo de pesquisa e investimento, não cabe a realidade dos clientes da Batiza hoje em dia. Quem sabe futuramente. Se cabe para os seus, parabéns, acho maravilhoso.

As pessoas são muito diferentes umas das outras, cada uma tem: estudo, conhecimento, bagagem cultural, vivências e experiências muito diferentes e além disso memorizam e fazem associações a seu modo.

Então, como não acredito em pesquisas superficiais, penso que hoje não faz sentido manter esse tipo de avaliação no meu processo, e é por isso que resolvi excluir esse item. Mas isso não quer dizer que futuramente, com embasamento ou alguma outra alternativa, eu não possa vir a incluir novamente… mas terá que ser de uma maneira consistente e que eu realmente acredite que valha a pena.

Mas não sou tão incrédula assim e acredito muito na repetição (que também é abordada no livro que citei acima).

O nome por si só, lançado ao mundo, pode não fazer a marca ser lembrada imediatamente do jeito que o cliente gostaria (alias, do jeito que ele sonha rs). Ele precisa de todo um esforço de comunicação, consistência, constância e tempo para ter pregnância. Acredito que quanto mais um nome é exposto mais ele é memorizado, independente se ele é “bom” ou “ruim”. É por isso que vemos marcas com nomes muito ruins e bem lembradas por aí.

Portanto, eu como namer, sinceramente não me sinto capaz de avaliar se um nome possui fácil memorização porém sou capacitada a criar um nome adequado ao negócio com inúmeras outras características que podem fazer com que ele seja bem aceito pelo público e ajudar nessa jornada rumo à memorização.

Ana Carolina Mosimann

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s